As palavras

Fonte: O Segredo As palavras nunca envelhecem,na verdade, permanecem guardadasna gavetinha da memóriaempoeirada pelo tempo, pela pressa.As palavras nunca envelhecem,na verdade, escondem-se entre descaminhos,eclipsadas pela pressa de chegar,pelo "e se", pelo "quando tiver tempo".Tempo! O senhor das horasAs palavras nunca envelhecem,na verdade, perdem-se no ventoentre tempestades, dissabores e saudades.As palavras nunca envelhecem,porque, na verdade, permanecem... Continuar Lendo →

Memórias

Fonte: MdeMulher Músicas são memórias sonoras das lembrançasque carregamos no bojo da saudade.Traz à memória gostos, cores e sensações, Amores e momentos vestidos de pretérito. Músicas guardam quem fomosentre ritmos, versos, toadas...Encontros, despedidas, os tempos que não voltam mais Músicas são composições a embalaramores não correspondidos De repente, um pensamento entoa uma canção: Prazeres e... Continuar Lendo →

Imagens

Refletida em espelho imaginárioa criança que fuicarrega-me pela mão.Conduz-me por sonhos e memóriasSonhos de quem fuisonhei-meSonhos de quem jamais seriaPermaneciSonhos de quem, aprisionada, fuiAbsorviSonhos cujas realidades sorviDeixei-me Memórias de figuras inanimadasbrinquei de serMemórias para saber que fuicavalgueiMemórias de tardes tranquilas suspirei-meMemórias de beijos e bilhetescontemplei-meNarcisicamente, a meniname contempla e sussurra,em minha catedral,para seguirSonhos e memórias,imersos... Continuar Lendo →

A lua da minha janela

Fonte: Google A lua sobre minha janelaconvida-me às divagações de amores antigosÀ memória de jovens seduzidaspelo resplendor do satélite dos enamorados,cuja vida fora ceifada pelo desejode deter para si a lua do céu,a lua do mar. Ismália, a jovem, deixou-se,como eu,ser levada por encantos ememórias de amores antigos.Divagou, desvaneceu... Quanto a mim, sobre a janela,permaneço... Continuar Lendo →

Simplicidade

Fonte: Google. Jovens enamorados, na ânsia de declarar ditoso amor, inebriavam a escolha lexical:"Hei de amar-te, musa, ninfa de meus sonhos"Amor cavaleiresco requer preciosismo, sublimação.O amante platônico, aristotélico permaneceno etéreo, no vir a ser.A musa, a ninfa, inacessível, chorava copiosao amor vassalo. Onírica, carregava consigoa canção do alaúde. No cenário moderno, prático e diversomudam-se os... Continuar Lendo →

Vagar

rumores murmurantes levam-me a este canções sibilantes lançam-me ao sul...

Sou um edifício constituído por livros e amor

Sou um edifício constituído por livros e amor. Livros são asas com as quais alçamos altos voos para a vida das personagens, dos milhares, ou milhões de leitores, que, invadidos pela história, transformaram suas vidas. Livros são uma amostra da eternidade, atravessam eras, o fogo, a água, resistem à guerra e permanecem no imaginário coletivo... Continuar Lendo →

A noite

Duas mulheres na janelaBartolomé Esteban Murillo Entre sonhos inacabados,a noite segue seu cursoe assiste à personagemsobre o leito da insônia:memórias, frustrações, queixumes. A derradeira noiteespreita pela janelaos sonhos frustradosa pairar sobre apersonagem da históriaa se escrever. Insone, perscruta o relógioe calcula os minutos para que, num salto,"deixe os sonhos na cama,acorde e vista a roupade... Continuar Lendo →

Rotina

A tranquila rotina segue seu cursonuvens passeiam insonesruídos cosmopolitasvem e vãoos astros, a bilhões de anos luz,orbitama bipolar cotação do dólar sobe e desce Pessoas nasceme morreme a tranquila rotina segue seu curso Na loira manhãcrianças sonâmbulas caminham pelo pátio da escolaApressados, os trabalhadores se consomempelo farol que se demora a abrir pelo trabalhocujas horas... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: