Sibila

A tarde preguiçosa
serpenteia entre seus cabelos,
mecha a mecha,
enquanto pensamentos
se arrastam entre
desejos e poesias.

A tarde preguiçosa
margeia mansamente
com a brisa em companhia
a bailar a valsa inaudível
ecoada de palacetes seculares.

A jovem displicente
suspira, anseia pelo toque
da mão espalmada
sobre si.

Devaneios, memórias
empoeiradas de quem
desejou ser,
de quem desejou,
ardentemente, ter.

A tarde preguiçosa
serpenteia entre seus cabelos,
sibila os desejos eriçados
sobre a pele.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: