Imagens

Refletida em espelho imaginárioa criança que fuicarrega-me pela mão.Conduz-me por sonhos e memóriasSonhos de quem fuisonhei-meSonhos de quem jamais seriaPermaneciSonhos de quem, aprisionada, fuiAbsorviSonhos cujas realidades sorviDeixei-me Memórias de figuras inanimadasbrinquei de serMemórias para saber que fuicavalgueiMemórias de tardes tranquilas suspirei-meMemórias de beijos e bilhetescontemplei-meNarcisicamente, a meniname contempla e sussurra,em minha catedral,para seguirSonhos e memórias,imersos... Continuar Lendo →

Anúncios

A lua da minha janela

Fonte: Google A lua sobre minha janelaconvida-me às divagações de amores antigosÀ memória de jovens seduzidaspelo resplendor do satélite dos enamorados,cuja vida fora ceifada pelo desejode deter para si a lua do céu,a lua do mar. Ismália, a jovem, deixou-se,como eu,ser levada por encantos ememórias de amores antigos.Divagou, desvaneceu... Quanto a mim, sobre a janela,permaneço... Continuar Lendo →

Simplicidade

Fonte: Google. Jovens enamorados, na ânsia de declarar ditoso amor, inebriavam a escolha lexical:"Hei de amar-te, musa, ninfa de meus sonhos"Amor cavaleiresco requer preciosismo, sublimação.O amante platônico, aristotélico permaneceno etéreo, no vir a ser.A musa, a ninfa, inacessível, chorava copiosao amor vassalo. Onírica, carregava consigoa canção do alaúde. No cenário moderno, prático e diversomudam-se os... Continuar Lendo →

A noite

Duas mulheres na janelaBartolomé Esteban Murillo Entre sonhos inacabados,a noite segue seu cursoe assiste à personagemsobre o leito da insônia:memórias, frustrações, queixumes. A derradeira noiteespreita pela janelaos sonhos frustradosa pairar sobre apersonagem da históriaa se escrever. Insone, perscruta o relógioe calcula os minutos para que, num salto,"deixe os sonhos na cama,acorde e vista a roupade... Continuar Lendo →

Rotina

A tranquila rotina segue seu cursonuvens passeiam insonesruídos cosmopolitasvem e vãoos astros, a bilhões de anos luz,orbitama bipolar cotação do dólar sobe e desce Pessoas nasceme morreme a tranquila rotina segue seu curso Na loira manhãcrianças sonâmbulas caminham pelo pátio da escolaApressados, os trabalhadores se consomempelo farol que se demora a abrir pelo trabalhocujas horas... Continuar Lendo →

Remember

Ventos sopram nomescuja saudade são recuerdos dos tempos idos,dos saboresque prováramos juntos. Teu nome tem saborde saudade das músicas que, de repente,harmoniosamente compõemas notas cujo adeus jamais estarána letra. Recuerdos jamais olvidados

Sibila

A tarde preguiçosaserpenteia entre seus cabelos,mecha a mecha,enquanto pensamentosse arrastam entredesejos e poesias. A tarde preguiçosamargeia mansamentecom a brisa em companhiaa bailar a valsa inaudívelecoada de palacetes seculares. A jovem displicentesuspira, anseia pelo toqueda mão espalmadasobre si. Devaneios, memórias empoeiradas de quemdesejou ser,de quem desejou,ardentemente, ter. A tarde preguiçosa serpenteia entre seus cabelos,sibila os desejos... Continuar Lendo →

Abismos

Ando cansada de mim mesma vontade de ser outra e florir florir noutras primaveras para encantar e embalar pássaros e novos gorjeios Feita de sonhos margeio a concretude abismos Feita de versos confeito histórias enveredo abismos Diante do espelho imaginário sou Penélope a tecer exasperadamente os fios de minha inacabada história Abismos entre vir a... Continuar Lendo →

Prelúdio

Um gorjeio coletivo inaugura a manhã Infantes, andorinhas, sabiás e maritacas pintam o céu com cores de plumas e cantos sob a regência da fascinação humana. Prenunciam, no Advento, as festividades do menino Salvador. Em voos rasantes e furtivos, um bem-te-vi participa da orquestra matinal. Quanto a mim, na plateia contemplativa, permaneço hipnotizada pela orquestra,... Continuar Lendo →

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: